Amigos seguidores

sábado, fevereiro 05, 2011

E o fabuloso Hermitage aniversaria hoje



Catarina II - a criadora do Museu
numa pintura de Rokotov 
No dia 5 de fevereiro de 1852 foi inaugurado na Rússia o Museu Hermitage. É um museu localizado em São Petersburgo, se constituindo num dos maiores museus de arte do mundo e sua vasta coleção possui itens de praticamente todas as épocas, estilos e culturas da história russa, européia, oriental e do norte da África, e está distribuída em dez prédios, situados ao longo do rio Neva, dos quais sete constituem por si mesmos monumentos artísticos e históricos de grande importância. Neste conjunto o papel principal cabe ao Palácio de Inverno, que foi a residência oficial dos Czares quase ininterruptamente desde sua construção até a queda da monarquia russa. Organizado ao longo de dois séculos e meio, o Hermitage possui hoje um acervo de mais de 3 milhões de peças. O museu mantém ainda um teatro, uma academia musical e projetos subsidiários em outros países. O núcleo inicial da coleção foi formado com a aquisição, pela imperatriz Catarina II, em 1764, de uma coleção de 225 pinturas flamengas e alemãs do negociante berlinense Johann Ernest Gotzkowski.
(Clique em cima para ampliar as fotos e pinturas) 



O complexo de edifícios

O Palácio Menshikov

Localizado na ilha Vasilyevsky, foi construído por encomenda do primeiro governador de São Petersburgo, e as obras se estenderam de 1710 até 1721, seguindo o plano original de Giovanni Mario Fontana, e continuado por Johann Gottfried Schaedel, num estilo barroco elegante e decorado com colunas,pilastras e um frontão no centro.

O Pequeno Hermitage

O Pequeno Hermitage é formado por um pavilhão erguido por instância de Catarina II entre 1765 e 1766, segundo desenho de Yury Veldten, em um estilo de transição entre o barroco e o neoclássico. Este pavilhão foi ligado entre 1767 e 1769 ao Pavilhão Norte, obra de Jean-Baptiste Vallin de la Mothe, através de uma galeria com jardins. Nas galerias laterais foram expostas as obras de arte que deram início às coleções imperiais. Em meados do século XIX um outro pavilhão foi acrescentado por Andrei Stakenschneider, em estilo eclético. O Pequeno Hermitage constitui um elo de ligação entre o Palácio de Inverno e o Grande Hermitage.

O Grande Hermitage

O prédio foi construído entre 1771 e 1787 por ordem de Catarina II a fim de abrigar a imperial coleção de arte e biblioteca. Yury Veldten, autor do projeto, desenhou um palácio com três andares em um estilo neoclássico austero, que se harmonizava com o complexo de edifícios do entorno. Uma nova ala foi acrescentada em 1792 por Giacomo Quarenghi, como uma réplica da afamada Galeria de Rafael no Vaticano, interligada ao Pequeno Hermitage por uma galeria e ao Teatro por uma ponte sobre o Canal de Inverno.

O Teatro do Hermitage

Com projeto de Giacomo Quarenghi, foi construído por ordem de Catarina II entre 1783 e 1787 em estilo neoclássico, com colunatas, estatuária na fachada e relevos de leões. Desativado como local de apresentações artísticas em meados do século XX, foi recentemente restaurado para voltar a servir às suas funções originais.

O Palácio do Estado Maior

Desenhado por Carlo Rossi em estilo neoclássico, foi levantado entre 1820 e 1827, ocupando uma vasta área na Esplanada Nevsky, alcançando as margens do rio Moika. Na fachada se destaca o monumental arco do triunfo, coroado por uma carruagem com seis cavalos além de grupos de guerreiros armados, figuras aladas e baixos-relevos. Outros três pórticos criam um ritmo plástico majestoso no conjunto. Faz parte do museu apenas sua ala leste, antigamente ocupada pelos Ministérios das Relações Exteriores e das Finanças, e entregue ao museu em 1993.

O Novo Hermitage

Foi o primeiro prédio construído exclusivamente para abrigar obras de arte da coleção do museu. Erguido entre 1842 e 1851 pelo arquiteto Leo von Klenze, foi alterado substancialmente mais tarde por Vasily Stasov e Nikolai Yefimov, a fim de integrá-lo com as construções adjacentes. Possui um pórtico monumental com um célebre grupo de atlantes esculpidos sob a direção de Alexander Terebenev. No interior abundam estátuas decorativas, baixos-relevos e detalhes que evocam diversos estilos históricos, num conjunto eclético que se interliga ao Palácio de Inverno.



O seu interior 




Algumas das fantásticas obras expostas no Hermitage: 

Cerâmicas etruscas 


Pintura de Franz Xaver Winterhalter:
Imperatriz Maria Alexandrovna


Pintura de Louis Caravaque: 
Imperatriz Ana da Rússia, 1730


Arte espanhola: San Sebastian e San Fabian, século XV.


Escultura de Antonio Canova: Eros e Psiquê, 1808


Armadura alemã do século XVI


Quadro de Jean-Baptiste Siméon Chardin: 
A Lavadeira - 1735


Peça em ouro puro da Joalheria Cita 


Quadro de Leonardo da Vinci: 
Madonna Benois


Litografia de Aleksander Orłowski: 
Viajante em uma Kibitka, 1819


Augusto como Júpiter, 362 a.C.
Essa estátua dos tempos do Império Romano 
foi restaurada no século XIX


Estela egípcia, século XVIII a.C.


Quadro de Paul Cézanne: 
Maçãs, peras e uvas, c. 1879


Estátua de Adriano, século II a.C.


Quadro de Rembrandt: 
Saskia como Flora, 1634


Quadro de Pierre-Auguste Renoir: 
No jardim, 1885.

Um presente final 

Em Agosto de 2010 reproduzimos aqui no POSTS uma coletânea de fotos aéreas de São Petersburgo feitas de um balão num projeto das Organizações Andrey Dobrynin, com sede nos EUA, denominado: "Maravilhas da Rússia por uma visão panorâmica". Para efetuar o trabalho foi convidado o fotógrafo russo Rustem Adagamov que embarcou num dirigível pilotado por Michael Bakanov. Durante horas eles ficaram sobrevoando a cidade e entre as fotos tiradas muitas são do famoso complexo do Museu Hermitage, o Palácio de Inverno dos Czares. Vamos reproduzir a vocês. Para ampliá-las cliquem nas fotos. São fantásticas:








 Fontes: Wikipédia, Site do Museu e Arquivos do Blog 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Posts Recentes