Amigos seguidores

quinta-feira, junho 14, 2012

O Caribe não é só mar azul e águas claras...

A beleza natural é fantástica com várias ilhas/estados banhadas por um mar azul de águas claras e transparentes. O Caribe, todavia, não é só isso. As ilhas caribenhas tem um passado lendário, com suas histórias de piratas e colonização multicultural que deu à região um povo alegre e carismático. Com oportunidades incomparáveis ​​para atividades na praia e ao ar livre, estas ilhas se transformam numa meta desejável para muitos viajantes. Tudo na região parece imbuído do sol e diversão durante quase todo o ano. Cada ilha tem sua história e o mapa do Caribe está cheio de nomes de alto perfil na concepção dos turistas como Jamaica, Cuba, Bahamas, Barbados, Ilhas Cayman, Granada e outros. Costuma-se dizer que no Caribe cada canto tem o seu sabor indescritível. Cada um dos países caribenhos é um local paradisíaco para relaxar, mas também histórico para se aprender e estudar a cultura de seus povos. A ideia deste post é mostrar exatamente esse outro lado do Caribe: suas ilhas, seus portos, suas cidades, seus monumentos e seus povos.
A Ilha de São Bartolomeu (Saint - Barthélemy em língua francesa), oficialmente Coletividade de São Bartolomeu, é um território pertencente à França, com 21 km², local de descanso das estrelas e milionários e tem uma população de cerca de 8700 pessoas.  É um dos quatro territórios das Pequenas Antilhas que englobaram as Índias Ocidentais Francesas. Saint-Barth foi cedida pela França à Suécia em 1785, e, em 1878, foi concedida à França novamente. A principal cidade da ilha é Gustávia, nomeada em homenagem ao rei Gustavo III da Suécia. (Foto de Mark Mainz / Getty Images)


(Clique nas fotos para ampliá-las) 

Com uma infra-estrutura bem desenvolvida a Ilha-Estado de Santa Lúcia está localizada no Mar do Caribe Oriental. É um país insular das Pequenas Antilhas, próximo à Martinica, São Vicente e Granadinas e Barbados. Seu nome foi dado por Cristóvão Colombo, que ali esteve, em 1502. Os primeiros a povoarem a ilha de Santa Lúcia foram os arawak no século III a.C., que foram expulsos posteriormente pelos temíveis índios caribes. Espanhóis e ingleses tentaram ocupar a ilha, mas encontraram forte resistência dos nativos. Em 1660, os franceses conseguiram se estabelecer ali, iniciando uma longa disputa com a Inglaterra que durou 150 anos. Por conta disto, a bandeira de posse em Santa Lúcia foi mudada 14 vezes consecutivas. Através do Tratado de Paris, em 1814, a Grã-Bretanha assumiu definitivamente o controle da ilha de Santa Lúcia, embora o período em que ela esteve sob dominação francesa tenha deixado marcas, inclusive no próprio idioma local, o patois, resultante da mescla de dialetos africanos com o francês. (Foto de Holger Leue / Lonely Planet Images)




Essa é St. George, capital de Granada, que é um país caribenho constituído pela ilha homonima e pela metade sul das ilhas Granadinas, das quais a maior é Carriacou. Por volta do século XV, os índios caribes expulsaram da ilha seus primitivos povoadores, os aruaques. Granada foi descoberta em 15 de agosto de 1498 por Cristóvão Colombo, que lhe deu o nome de Concepción. Os espanhóis, porém, não tentaram colonizá-la, e a ilha se manteve em poder dos caribes por mais de um século e meio. Em 1650, o governador francês da Martinica fundou uma colônia em Saint George's e exterminou os índios caribes. Até 1762, a ilha permaneceu sob domínio dos franceses, que importaram escravos negros para a plantação de cana-de-açúcar. Nesse ano a ilha passou a depender da coroa britânica, que a perdeu após um ataque francês em 1779 e a recuperou definitivamente em 1783, pelo Tratado de Versalhes. Em 1833 aboliu-se a escravidão. De 1885 a 1958, Granada foi o centro administrativo das ilhas britânicas de Barlavento e de 1958 a 1962 membro da Federação Britânica das Índias Ocidentais. Cinco anos depois tornou-se um dos Estados Associados das Antilhas Britânicas, com regime autônomo. A capital St. George é considerada uma das cidades portuárias mais belas do Caribe. (Foto de Richard Cummins / Lonely Planet Images)


As Ilhas Caimã (em inglês: Cayman Islands) são um território britânico no Caribe, a sul de Cuba. Relativamente isoladas e afastadas umas das outras, as ilhas têm em Cuba e na Jamaica, 300 km a sudeste, os vizinhos mais próximos. A capital é George Town. Até meados dos anos 60 do século XX, estas ilhas dedicavam-se à agricultura e à pesca. Atualmente, este arquipélago é um conhecido paraíso fiscal e um grande centro de turismo. Uma das grandes atrações das Ilhas Caimã é que elas são o único lugar na natureza onde se pode nadar ao lado das raias do Atlântico Sul. (Foto David Rogers / Getty Images)




Na alta temporada em Saint John's, capital da Antígua, chegam diariamente cinco navios de cruzeiro americanos e europeus, cheio de passageiros que vão curtir praias e jogos, pois na Ilha tem muitos casinos. Antígua é uma ilha no Mar do Caribe com 280 km² que faz parte da nação insular de Antígua e Barbuda, que formam um arquipélago. A maior cidade da ilha é exatamente Saint John's, sua capital. Os primeiros habitantes das ilhas surgiram a cerca de 4.400 anos, mas só em 1493 elas foram descobertas por Cristóvão Colombo que as batizou e colonizou em nome do reino da Espanha. Em 1667 elas foram vendidas à Inglaterra, as quais pertenceram até a independência do país em 1981. Desde então Antígua e Barbuda se tornaram um dos 196 países reconhecidos pela ONU, além de uma das últimas 44 monarquias da atualidade e um dos 16 reinos da Commonwealth, a liga de ex colônias inglesas que reconhecem a Rainha Elisabeth II como sua chefe de estado. Antígua e Barbuda são também um dos 46 países que tem o inglês como seu idioma oficial e um dos seis a adotar o Dólar do Caribe Oriental como sua moeda. Sua população em 2012 é de 88 mil habitantes, ocupando a posição 175 na lista de países por população; desses, cerca de 30% vivem em Saint John's que com 26 mil habitantes, é a capital e maior cidade do país. (Foto de Chris Jackson / Getty Images)



Na Antígua, apesar do fato de que a ilha é famosa por seus luxuosos e elegantes hotéis, há um monte de pequenas hospedarias com preços médios. Além disso, os clientes vão encontrar nesta ilha vários bares de praia, restaurantes, cassinos e lojas. (Foto de Richard I'Anson / Lonely Planet Images)


Essa é a antiga igreja na cidade de La Romana, a terceira maior da Ilha de Dominica. A Dominica é um estado das Caraíbas, constituído pela ilha homônima. Não se deve confundir com a República Dominicana, localizada na porção leste da ilha Hispaniola. Conta a história que tribos guerreiras caraíbas habitavam a ilha de Dominica antes da chegada de Cristóvão Colombo, em 1493. O relevo acidentado da ilha retardou sua exploração pelos europeus, mas sua posição estratégica faz dela centro de disputa entre ingleses e franceses no século XVII. Os ingleses tomam posse da ilha em 1783. Conflitos entre colonos e nativos levam à quase extinção dos caraíbas - daí a predominância atual de negros, descendentes de escravos, na população. A Dominica fez parte da Federação das Ilhas de Sotavento, de 1871 a 1939 e das Ilhas de Barlavento, de 1940 a 1958. Em 1958, Dominica juntou-se a Federação das Índias Ocidentais. Já em 1967, torna-se um Estado livre associado ao Reino Unido, que continuava controlando a política externa e de defesa da ilha. A independência é proclamada em 1978. Sua capital é Roseau. ( Foto de Wayne Walton / Lonely Planet Images)


Pode se dizer que a parte mais obscura das ilhas caribenhas e a Ilha de Dominica. Com um território tomado por florestas e montanhoso ela não é atração para o turismo subaquático, o que a deixa fora de vários roteiros turísticos. Em compensação agrada aos fãs de florestas tropicais e praticante de trilhas de longas caminhadas. (Foto de Greg Johnston / Lonely Planet Images)





Belize (antigamente Honduras Britânicas) é um pequeno país da América Central, limitado a norte pelo México, a leste pelo Golfo de Honduras e a sul e a oeste pela Guatemala. Belmopan é a capital do país enquanto a cidade de Belize é a maior cidade. Até à chegada dos europeus, era habitada pelos maias. No meio do Século XVII chegaram mateiros ingleses à costa. Em 1968, os E.U.A. foram juízes de arbitragem para que o Reino Unido e Guatemala reconhecessem a independência de Belize, o que se conseguiu em 1981. Guatemala reconheceu o país em 1992. Belize anualmente é visitado por mais de 850.000 turistas. O país, sem dúvida, é um ótimo lugar para andar de caiaque, mergulho e caminhadas, mas a grande atração são as ruínas maias, visíveis na fotografia e facilmente acessíveis a partir da ilha de Caye Kolker. (Foto de Andrew Marshall / Lonely Planet Images)






A costa da Venezuela também é parte integrante do Caribe, pois além de ser banhada por este mar oferece diferentes tipos de instalações de lazer para os turistas. De qualquer forma a Venezuela não recebe um fluxo total dos turistas caribenhos e é menos visitado do que vizinhos países sul-americanos, como o Brasil, por exemplo. Na foto um pescador faz remendos em suas redes na ilha de Cayo Herraduga, em La Tartuga, na Venezuela. (Foto de Lynne Sladky / AP)




Cuba, chamada oficialmente de República de Cuba, é um país insular do Caribe. A nação de Cuba consiste na ilha principal (incluindo a Base Naval da Baía de Guantánamo) além da Ilha da Juventude e de vários arquipélagos menores. Havana é a maior cidade e a capital do país. Em 1492, Cristóvão Colombo descobriu e reivindicou a ilha para o Reino de Espanha. Cuba permaneceu como um território da Espanha até a Guerra Hispano-Americana, que terminou em 1898, sendo reconhecida com um país independente pela maioria dos países no início do século XX. Entre 1953 e 1959 ocorreu a Revolução Cubana, que removeu a ditadura de Fulgencio Batista. Adotando o regime comunista/socialista infelizmente Cuba acabou se transformando numa outra ditadura, comandada pelos irmãos Fidel e Raul Castro. Apesar disso Cuba é uma mistura de vistas fantásticas sobre o Caribe, com uma história surpreendente. É o lar de mais de 11 milhões de pessoas e a nação-ilha mais populosa do Caribe. Seu povo, sua cultura e seus costumes foram formados a partir de fontes diversas, tais como os povos Taíno e Ciboney, o período em que foi uma colônia do Império Espanhol, com a introdução de escravos africanos e a sua proximidade com os Estados Unidos. Os visitantes podem passear pelas praias de areia branca ou apreciar a arquitetura incrível no sol da manhã. (Foto de Jorge Royan)


No flagrante a cúpula da Catedral de San Juan, capital de Porto Rico, e a Cidade Velha - um bairro histórico que preservou as antigas casas coloniais, paredes maciças e os fortes construídos nos séculos passados. Porto Rico é um território sem personalidade jurídica dos Estados Unidos, localizado na parte oriental do mar do Caribe. É composto por um arquipélago, que inclui a ilha principal de Porto Rico e uma série de ilhas menores, as maiores das quais são Vieques, Culebra e Mona. A ilha principal de Porto Rico é a menor em área terrestre e a menor em população entre as quatro Grandes Antilhas, que também incluem Cuba, Hispaniola e a Jamaica. Conquistado pela Espanha em 1493 e cedido em 1898 aos Estados Unidos. Com o referendo de 14 de Dezembro de 1998, os habitantes de Porto Rico decidiram manter o status de Estado Livre Associado, recusando as propostas de se tornar o 51º estado estadunidense ou a de se tornar independente. (Foto de Joe Raedle / Getty Images)






Um turista sobe 12 metros numa queda d'água na parte sul da Reserva Florestal de El Yunke, localizada na ilha de Porto Rico, e vinculada ao Departamento de Conservação de Parques e Florestas dos EUA. O parque ocupa 113 quilômetros quadrados e tem mais de 200 espécies de plantas, 23 das quais únicas no Planeta. (Foto de Herminio Rodriguez / AP)



Jogadores de dominó na Cidade Velha de San Juan. O bairro da Cidade Velha conserva muitas de suas tradições, o que serve de atração para os turistas. ( Foto de Joe Raedle / Getty Images)





O resultado das plantações de cacau que auxiliam na economia da Ilha Santa Lucia
(Foto de Chris Jackson / Getty Images)


Turistas visitam a "Ponte do Diabo", na litoral da Ilha de Antígua. (Foto de Joe Raedle / Getty Images)



A Ilha de Guadalupe foi descoberta por Cristóvão Colombo em 14 de Novembro de 1493. Tornou-se colonia francesa em 1635. É um departamento ultramarino francês desde 1946. Guadalupe não é tão desenvolvido como os vizinhos, mas, no entanto, há boas praias para atender a prática de desportos náuticos, bem como selvagens praias intocadas. (Foto de Marcel Mochet / AFP - Getty Images)




Aruba é um território autônomo neerlandês do Caribe, ao largo da costa da Venezuela. Além da Venezuela, os seus vizinhos mais próximos são Curaçao, São Martinho e a Península de La Guajira (Colômbia). Sua capital: Oranjestad (foto). Aruba foi descoberta e ocupada em 1499 por exploradores espanhóis e adquirida pelos Países Baixos em 1636. A ilha separou-se das Antilhas Neerlandesas a 1 de Janeiro de 1986 e tornou-se uma dependência autônoma do Reino dos Países Baixos.




Curação ou Curaçau, é a maior ilha do antigo arquipélago das Antilhas Neerlandesas e um país autônomo constituinte do Reino dos Países Baixos. Possivelmente a mais européia de todas as ilhas do Caribe. Viajar por Curação não é só curtir lindas praias de águas claras, mas também viver um pouco da Holanda em plena América do Sul. (Foto Google) 


Fontes: 
Fotos: BigPicture.ru e Google. 
Textos: Wikipédia com adaptação feita pelo editor do blog. 

2 comentários:

Anônimo disse...

http://prixviagrageneriquefrance.net/ acheter viagra
http://commanderviagragenerique.net/ viagra commander
http://viagracomprargenericoespana.net/ viagra
http://acquistareviagragenericoitalia.net/ viagra

Anônimo disse...

http://achatcialisgenerique.lo.gs/ acheter cialis
http://commandercialisfer.lo.gs/ prix cialis
http://prezzocialisgenericoit.net/ compra cialis in italia
http://preciocialisgenericoespana.net/ cialis comprar

Compartilhe:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Posts Recentes