Amigos seguidores

domingo, maio 29, 2011

"Tudo que vicia começa com Cê"

Inteligente e criativo texto de Ricardo Mallet:
"Há momentos na vida de um ser humano em que ele se vê sem nada realmente interessante pra fazer. Assim, sem companhia, computador ou iPod e com celular fora de serviço, numa viagem de ônibus para Cruz Alta, fui obrigado a me divertir com os meus próprios pensamentos. Por alguma razão que ainda desconheço, minha mente foi tomada por uma ideia um tanto sinistra: vícios.
Refleti sobre todos os vícios que corrompem a humanidade. Pensei, pensei e, de repente, um insight: tudo que vicia começa com a letra C! De drogas leves a pesadas, bebidas, comidas ou diversões, percebi que todo vício curiosamente iniciava com cê.
Inicialmente, lembrei do cigarro que causa mais dependência que muita droga pesada. Cigarro vicia e começa com a letra c. Depois, lembrei das drogas pesadas: cocaína, crack e maconha. Vale lembrar que maconha é apenas o apelido da cannabis sativa que também começa com cê. Entre as bebidas super populares há a cachaça, a cerveja e o café. Os gaúchos até abrem mão do vício matinal do café mas não deixam de tomar seu chimarrão que também – adivinha – começa com a letra c. Refletindo sobre este padrão, cheguei à resposta da questão que por anos atormentou minha vida: por que a Coca-Cola vicia e a Pepsi não? Tendo fórmulas e sabores praticamente idênticos, deveria haver alguma explicação para este fenômeno. Naquele dia, meu insight finalmente revelara a resposta. É que a Coca tem dois cês no nome enquanto a Pepsi não tem nenhum. Impressionante, hein?
E o chocolate? Este dispensa comentários. Vícios alimentares conhecemos aos montes, principalmente daqueles alimentos carregados com sal e açúcar. Sal é cloreto de sódio. E o açúcar que vicia é aquele extraído da cana.
Algumas músicas também causam dependência. Recentemente, testemunhei a popularização de uma droga musical chamada “créeeeeeu”. Ficou todo o mundo viciadinho, principalmente quando o ritmo atingia a velocidade… cinco.
Nesta altura, você pode estar pensando: sexo vicia e não começa com a letra C. Pois você está redondamente enganado. Sexo não tem esta qualidade porque denota simplesmente a conformação orgânica que permite distinguir o homem da mulher. O que vicia é o “ato sexual”, e este é denominado coito.
Pois é. Coincidências ou não, tudo que vicia começa com cê. Mas atenção: nem tudo que começa com cê vicia. Se fosse assim, estaríamos salvos, pois a humanidade seria viciada em Cultura".






Ricardo Mallet é um gaúcho graduado em gestão empresarial, consultor e palestrante especialista em proatividade para líderes. Docente pela Universidade Internacional de Yôga, desde 1989 tem auxiliado centenas de pessoas a alcançarem um melhor desempenho, maior produtividade e realização profissional. Quem quiser saber mais sobre Mallet e seus trabalhos, entre no site de sua empresa CLICANDO AQUI



5 comentários:

MARILENE disse...

Quanta criatividade! Post excelente.

Bjs.

Bruno Costa disse...

Hahahaha muito bom o texto! Vou começar a pensar sobre o assunto, quem sabe eu não consigo rebater os argumentos? hahahaha

jotacmf disse...

posso até ter visto algo igual só que não lembro o lugar, mais que esse texto é sem duvida muito criativo e inteligente.
eu gostei.
um abraço

Ricardo disse...

Olá Milton.

Agradeço por compartilhar meu texto. Há também um vídeo no youtube com este artigo com imagens e locução. Aqui vai o link:
http://www.youtube.com/watch?v=5NoXW48uw1Y

Forte abraço,
Ricardo Mallet

RicaKuns disse...

Olá Milton!
Interessante mesmo este artigo. Agora o que mais me chamou atenção foi que resolvi pesquisar sobre Mallet na Internet e achei alguns outros trabalhos dele que nos incitam exatamente à busca pela organização com simplicidade. Esse texto é um exemplo disso: uma viagem de ônibus, sem nada para fazer, deixa a mente fluir e aproveita o resultado disso.
Ou seja: das pequenas coisas surgem boas idéias, nem que seja divagar sobre o cotidiano.
Bacana! Valeu!

Compartilhe:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Posts Recentes